Sem categoria

O novo normal: as vantagens do Home office

O novo normal: as vantagens do Home office

Com o início da pandemia em 2020 e a necessidade de isolamento, foi necessário que grande parte da população se adaptasse ao trabalho remoto. O que inicialmente veio como uma solução momentânea vem se mostrando cada vez mais crescente e colecionando novos adeptos, que mesmo com a diminuição dos casos do coronavírus e a flexibilização das medidas de isolamento que possibilitariam a volta do trabalho presencial, preferem se manter trabalhando em home office por encontrarem diversas vantagens neste modelo de trabalho, como:

1. Flexibilidade – Um dos maiores atrativos do home office é ter liberdade para organizar seus horários, muitas vezes conseguindo adaptá-los aos momentos em que você se sente mais produtivo, além de poder trabalhar de onde quiser.

2. Maior qualidade de vida – Com o tempo ganho do descolamento, você pode se dedicar mais a outras atividades, como estudar, fazer esportes, ficar com as pessoas que você ama, e claro, descansar mais.

3. Conforto – Tendo seu próprio espaço para trabalhar, você pode deixá-lo bem mais confortável e com a sua cara, o que pode te ajudar a aumentar sua produtividade e satisfação durante seu momento de trabalho.

Com o home office, cada pessoa pôde experimentar diversas formas e locais diferentes para trabalharem, alguns preferem escritórios de coworking, outros vão até cafeterias passar o dia, mas o campeão foi realmente se manter em casa. Com isso, houve a necessidade de adaptar os espaços existentes para atender essas novas demandas.
Durante este período houveram muitos profissionais que acabaram decidindo manter o home office como sua forma definitiva de trabalho e optaram por buscar profissionais para a realização de projetos. Com um bom design é possível transformar aquele espaço ocioso ou quarto já existente na sua casa em um ambiente prático, confortável e bonito para facilitar as tarefas do dia a dia. Por isso separamos algumas dicas para te ajudar a criar seu próprio escritório:

1. Uma boa iluminação é essencial
Na hora da escolha do local do seu escritório priorize um que possibilite uma boa iluminação, natural de preferência, também a complementando com luzes de apoio. Assim, você terá um ambiente mais agradável e mais produtivo.

2. Escolha bons móveis
Por ser um local onde você irá passar boa parte do seu dia, é muito importante a escolha de móveis de qualidade e confortáveis para te manter mais bem disposto e produtivo. Se possível, crie também um local de descanso para que você possa tirar pequenas pausas no dia a dia.

3. Organização é a chave
Independentemente se o seu home office será projetado ou feito de maneira mais improvisada, manter o local e seus materiais de trabalho organizados é primordial para que se possa ter um dia de trabalho produtivo e menos estressante. Uma boa ideia é a colocação de nichos organizadores, que servem muito bem mesmo em espaços menores e ajudam a criar um ambiente organizado, prático e confortável.

Com essas dicas, esperamos que você possa construir um ambiente que deixe o seu dia a dia no trabalho mais agradável e produtivo, e possa transformar este momento em uma experiência positiva!

Sem categoria

10 dicas para construir uma casa moderna

10 dicas para construir uma casa moderna.

O arquiteto Raphael Wittmann, da RAWI Arquitetura, deu uma entrevista muito legal com 10 dicas para se construir uma casa moderna. O Portal Estadão Imóveis também o convidou para falar do assunto. Para acessar matéria na íntegra, visite: https://imoveis.estadao.com.br/decoracao-reforma-e-construcao/4-dicas-para-construir-uma-casa-moderna/ 

As imagens são de um projeto para uma residência unifamiliar em São Paulo. Entre as questões levantadas para execução do estudo estão a acessibilidade e o conceito que dialoga com a topografia acentuada.

Contratando um arquiteto

A escolha de um arquiteto ou de uma empresa de arquitetura para projetar a casa, é uma necessária e importante etapa inicial para dar início ao planejamento da construção. O arquiteto tem o conhecimento técnico capaz de deixar o espaço da maneira que o cliente gostaria, considerando também o local, a cultura, o conceito, a técnica e a legislação. Já o Engenheiro Civil é imprescindível para os projetos complementares de instalações prediais e de estruturas, bem como para direcionar a execução da obra. 

Hoje em dia muitos projetos de arquitetura são apresentados somente através do modelo 3D, o que facilita a compreensão visual dos espaços pelo cliente. Contudo, o projeto executivo, que é uma etapa anterior à obra, é muito importante para um melhor detalhamento do projeto de arquitetura. Nessa etapa são feitos os projetos de iluminação, de locação dos pontos de elétrica, de pisos, desenho das portas e janelas, das áreas hidráulicas, alvenarias etc. Muitos clientes optam por não contratar esse projeto por conta do aumento dos custos. No entanto, é preciso ver o fator custo como qualidade, pois colaborará decisivamente para não ocorrer possíveis problemas durante a obra. Com um maior nível de detalhamento, poderá ser realizado um orçamento com maior precisão da obra, favorecendo o seu planejamento.

Na escolha pelo arquiteto também deve ser considerado o seu estilo. Encontrar um arquiteto que tenha uma linguagem de trabalho semelhante à almejada, pode evitar muita dor de cabeça.

Legislação

Para projetar uma casa moderna é muito importante que, antes de iniciar a obra, seja realizado um estudo da legislação do município em questão, levantando instrumentos que estão ligados diretamente ao ato da construção. A taxa de ocupação, que é a porcentagem de área construída no terreno; o coeficiente de aproveitamento, que significa o quanto pode ser construído de edificação em m2; a taxa de permeabilidade, que está ligado as áreas verdes no local; o limite de altura da edificação; e os recuos obrigatórios que são os espaços entre a casa e os muros, são alguns dos parâmetros de extrema importância para o desenvolvimento do projeto. Conhecendo a legislação, o arquiteto poderá realizar o desenho da casa dentro dos parâmetros estabelecidos pelos órgãos legais, como o município por exemplo.

Depois que definido o projeto entre o cliente e o arquiteto, o profissional de arquitetura poderá desenhar o projeto legal que será aprovado na prefeitura. Sem este processo, não é legalmente permitida a construção.

Relação do terreno com o entorno 

A relação da edificação com o terreno precisa ser estudada, pois cada terreno implica em soluções diferentes de projeto. Um terreno em desnível apresenta soluções diferentes do que outro mais “plano”.  Pensar como será a interação com entorno é muito importante, seja no gabarito ou porte das outras edificações, pois colabora na reflexão de como o projeto se mostrará para o restante da cidade, não se limitando ao lote. 

Definindo o conceito

O conceito de um projeto é o conjunto de ideias que estarão presentes desde o seu início até o produto. O estabelecimento de um conceito permitirá com que se tenha um melhor resultado com a execução da obra da casa. 

É no conceito também que será definido o partido arquitetônico do projeto, onde serão estudados e discutidos desde questões inerentes ao estilo (contemporâneo, moderno, rústico), cores, volumetria (quadrado, retangular, curvas, assimetria, equilíbrio), materialidade (piso frio, madeira, paredes de tijolos, telhado ou laje), acessibilidade (cadeirante, rampas de acesso), até questões relacionadas ao seu uso e preferências pessoais para os espaços.

Ventilação e iluminação natural

Uma casa com equilíbrio nas aberturas (janelas, portas, vãos) é fundamental para uma melhor iluminação e ventilação natural, o que trará melhor conforto aos moradores, como também será de extrema importância na eficiência energética do local. É importante estudar os materiais que serão utilizados para as aberturas, para assim não se ter problemas com eficiência energética, um exemplo é o excessivo uso de vidros que pode deixar mais quentes os ambientes internos. Por exemplo, para os quartos, é sempre melhor que se possível sejam posicionados para o leste, que é onde o Sol nasce, tomando assim o Sol da manhã nestes ambientes e não o da tarde, tornando-os mais frescos a noite. 

A escolha dos materiais  

É importante pesquisar bem antes de comprar os materiais, pois eles trarão a finalização necessária ao projeto, seja no conforto ou na questão compositiva. Não caia no fator de que o material de qualidade é o mais caro; pesquisando no mercado existem muitas marcas que trazem um ótimo custo-benefício. Assim é importante avaliar o que cabe no seu bolso. Materiais reutilizados, madeiras de demolição e vidros reciclados também são muito interessantes para trazer sustentabilidade ao projeto.

Sistemas para melhor eficiência do imóvel

Pensar em sistemas de aquecimento solar (que consiste na utilização de energia solar para o aquecimento de água, ar etc.), captação das águas das chuvas (para reuso em atividades domésticas) e placas fotovoltaicas (que fazem a conversão da energia solar em elétrica) são condicionantes que trazem ao projeto residencial uma melhor eficiência. No início a implementação desses sistemas pode ficar custosa, mas a longo prazo os benefícios serão maiores, o que contribuirá para o pagamento desses custos preliminares. 

Projeto luminotécnico 

A iluminação é um fator preponderante no projeto de uma casa. Um projeto luminotécnico bem elaborado faz com que os ambientes ganhem outra cara e sejam mais valorizados, como também auxilia na economia de energia. As cores da iluminação que podem variar de tons mais frios para os mais quentes, colaboram para o melhor bem-estar dos moradores. Uma opção bem interessante é uso do LED para realçar ambientes e mobiliário. Essa tecnologia permite uma diminuição no consumo de energia, tem uma longa durabilidade, pode ser reciclado, entre outros benefícios. 

Acessibilidade 

A acessibilidade é fundamental para uma melhor integração entre pessoas portadoras de necessidades especiais com a edificação. Prever rampas onde seja necessário, banheiros mais amplos com equipamentos de apoio, ambientes com maior espaço livre para circulação são alguns dos fatores essenciais ao se pensar em um projeto acessível. Para isso é preciso que o arquiteto responsável faça um estudo detalhado da Norma brasileira 9050 (NBR) da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) que explicita como deve ser a acessibilidade em edificações. Além disso, mesmo em casas não acessíveis, podem ser pensados em espaços mais adaptados aos idosos, já que a população brasileira está envelhecendo. Pensar no amanhã é muito importante ao se construir uma casa.

Paisagismo 

Pensar as áreas verdes da casa é uma decisão que gerará muitos benefícios ao morador e que deve estar de acordo com a legislação específica da cidade onde o projeto será feito. Os jardins externos e até as plantas no interior da edificação se colocam como refúgio ao morador, ajudando a aliviar as tensões do dia a dia e contribuindo com a saúde. Outro fator benéfico é o paisagismo como colaborador na diminuição do calor da residência, o que traz um melhor conforto térmico. 

Profissionais especializados em paisagismo são altamente recomendados para este trabalho, já que poderão especificar plantas locais ou adaptadas ao solo (por exemplo indicando plantas adaptadas ao Sol e à sombra, caso a caso), de forma que se possa ter um jardim bonito e agradável.

Sem categoria

Entrevista sobre o uso de Portas Mimetizadas

Copa – Conjunto Itália
Foto: Alexandre Disaro

Entrevista

 

Por: Raphael Wittmann (RAWI Arquitetura + Design)

Em entrevista concedida à revista Casa Interiores & Paisagismo, conversamos sobre o uso de portas mimetizadas, com destaque para o projeto que desenvolvemos para um escritório de advocacia no Edifício Itália, ícone da arquitetura moderna paulistana.

 Conte um pouquinho da história e estilo do projeto em questão.

A intervenção nesse conjunto, de 145m², situado em um dos edifícios mais icônicos de São Paulo – o Edifício Itália, proporcionou um desafio em como organizar os ambientes para que o programa da empresa Pena Moura França Advogados Associados coubesse no espaço. Desse modo, foi preciso aliar uma série de fatores como a organização espacial e a escolha dos materiais (madeira, cimento queimado, ladrilhos hidráulicos, serralheria etc.) para que o projeto tivesse uma seriedade, própria de escritórios dessa área, como também uma contemporaneidade com o uso das cores e da combinação desses diferentes materiais.

Em que situação gosta de usar porta mimetizada?

O uso desse estilo de porta se configura como importante para nós em situações que se faz necessário deixar o ambiente mais amplo e moderno ou integrado a outro espaço, bem como quando queremos camuflar ambientes. No nosso caso, as portas mimetizadas (ou invisíveis) da copa céu, quando totalmente abertas, têm a intenção de fazer com que o ambiente se integre com a recepção. Assim, é possível criar usos para esse espaço, que pode ter momentos de descompressão durante a rotina, além de servir como apoio às reuniões da empresa.

Qual o tipo de porta: pivotante, de correr, normal, camarão? Qual a indicação em cada caso?

Na copa céu utilizamos um sistema peculiar com dois tipos de portas mimetizadas incluídas no painel de madeira. A do lado esquerdo é do tipo pivotante, por conta das portas dos lavabos adjacentes (não seria possível a porta correr do lado esquerdo por conta dos acessos dos lavabos que são no mesmo painel). Já a do lado direito é de correr para ficar totalmente camuflada e assim propiciar a integração completa com a recepção. O uso de cada tipo de porta varia de acordo com as especificidades do projeto, seja na questão do conceito ou das preferências do cliente.

Pode-se mimetizar em qualquer material? Madeira, alvenaria, drywall….? qual o segredo de um mimetismo perfeito?

Portas mimetizadas são geralmente fabricadas em madeira e/ou MDF, mas podem ser também em serralheria ou dry wall. Quando executadas em drywall, podem dar uma aparência mais camuflada na alvenaria, mas para isso teriam que ter ferragens especiais para assim se ter uma melhor eficiência. Essas portas mimetizadas também podem ser revestidas com pedras, ladrilhos hidráulicos ou outros materiais, conforme o conceito do projeto, fazendo com que se tornem totalmente invisíveis.

Copa – Conjunto Itália
Foto: Alexandre Disaro

 

No caso do seu ambiente – justifique a escolha do material e do tipo de porta?

A madeira, material escolhido para a porta, tem a intenção de trazer modernidade ao projeto, esquentar o ambiente visto que a laje e o piso da recepção são de um material mais frio, além de ser um material que é muito utilizado em escritórios de advocacia. Escolhemos a porta mimetizada, pois ela ficaria mais agradável visualmente devido estar em conjunto com um extenso painel de madeira que faz uma divisão de ambientes no projeto, além de proporcionar diferentes usos para a copa.

Madeira? Com que acabamento?

Sim, o material utilizado na porta foi um MDF revestido em folha de madeira Carvalho Americano. Utilizamos esse acabamento por ele ser mais claro e assim ampliar o ambiente, reforçando sua modernidade.

Qual o tamanho da porta ou abertura?

 O sistema de portas mimetizadas é composto por dois modelos: o de correr, que tem 1,95m de comprimento e o pivotante, que conta com 1,06m de abertura, totalizando 3,01m de abertura. A altura das portas é de 2,26m.  Esse sistema está incluído dentro de um painel de madeira de 8m de extensão.

Qual a importância da escolha certa das ferragens?

É preciso verificar bem a escolha do fornecedor das ferragens antes de enviar o projeto para execução. Para isso, é preciso fazer uma pesquisa de boas marcenarias que trabalham com ferragens apropriadas e de qualidade. Assim, evita-se problemas de regulagens e qualidade das peças, que podem ocasionar problemas futuros no desempenho da porta.

Puxador é um problema para quebrar a uniformidade?

Dependendo do conceito do projeto ele pode realmente gerar uma quebra da uniformidade. No nosso caso queríamos algo uniforme por conta do painel, assim optamos por utilizar uma pequena cava para assim ficar mais imperceptível.

No caso do seu ambiente, por que optou por mimetizar?

Foi importante a mimetização dessa porta, pois ela faz parte da composição de um painel de madeira de mais de 8 metros e que é destaque no projeto, atuando como importante delimitador de ambientes. A mimetização foi significativa para que houvesse uma integração entre os ambientes da copa e recepção, podendo assim assumir novos usos quando as portas estiverem totalmente abertas.

Os painéis com portas mimetizadas já foram uma tendência, certo? Quando eles eram usados na decoração? Anos 80?

As portas mimetizadas são utilizadas na decoração já há séculos, muitas casas antigas contam com passagens secretas e escritórios com acessos camuflados. Mas foi a partir dos anos 80 que ganhou maior destaque na decoração. Atualmente, são muito utilizadas para gerar modernidade e integrar ambientes.

Qual a dica que vc daria para quem quer fazer uma porta mimetizada?

A contratação de um profissional especializado para realização do projeto e execução da porta mimetizada é a principal dica para quem fazer uma porta com essa linguagem. É importante também verificar os custos, pois dependendo do modelo (pivotante, correr, camarão etc.) pode haver modificação dos valores.

Execução da porta é de que empresa?

A Marcenaria Novaes Ferreira, especialista em móveis de alto padrão, foi escolhida para a realização da porta e do respectivo painel.

Lavabo – Conjunto Itália
Foto: Alexandre Disaro

Sem categoria

A importância da iluminação natural no ambiente interno

Por: Sonia Ferreira
Publicado: 05/09/2019

Foto: Alexandre Disaro.
Apartamento Areia by RAWI Arquitetura + Design. 2019

Vários são os benefícios da iluminação natural nos ambientes fechados, principalmente o efeito positivo dela na construção e na saúde humana. Na arquitetura, a iluminação natural refere-se ao uso da luz natural, seja a luz solar brilhante ou a luz neutra e silenciada, para apoiar as exigências visuais dos ocupantes da casa, edifício, entre outros. Para um espaço ser considerado iluminado pelo dia, ele deve usar a luz natural como fonte primária de iluminação, criar um visual legal e termicamente confortável. Além disso, o melhor aproveitamento da iluminação natural maximiza a economia de energia elétrica.

Benefícios da luz do dia

Cada vez mais os projetos arquitetônicos tem priorizado a iluminação natural. Isso porque a exposição à luz do dia melhora a saúde, o bem-estar e o humor, além de oferecer uma estética agradável ao ambiente.

Para melhor aproveitamento nos ambientes internos, é preciso que o arquiteto analise bem a localização do terreno e a posição do sol (nascente e poente), aproveitando a iluminação nos ambientes que irão necessitar de maior incidência de luz natural.

Foto: Lufe Gomes.
Quarto do Pedro by RAWI Arquitetura + Design. 2019

O acesso à luz natural faz parte da nossa sobrevivência e dos ciclos naturais, por isso é essencial que tenhamos acesso a ela por pelo menos algumas horas por dia. O ser humano precisa de doses diárias moderadas de sol para o corpo produzir vitamina D suficiente para a absorção do cálcio que fortalece os ossos.

Ao assumir qualquer projeto de construção, o arquiteto deve sempre pensar nos benefícios para os ocupantes. De acordo com estudos, é possível comprovar que ambientes iluminados aumentam a produtividade e o conforto, e fornecem a estimulação mental e visual necessária para regular os ritmos circadianos humanos.

Outro benefício da utilização de luz natural é a economia substancial de energia. A iluminação elétrica em edifícios tem um consumo gigantesco para uma cidade. Espaços equipados com controles de detecção de luz do dia podem reduzir a energia usada para iluminação elétrica em 20% a 60%, de acordo com pesquisas dos órgãos que monitoram o desempenho do sistema de controle de iluminação natural.

Luz natural também evita estresse para trabalhadores onde o interior das empresas, escolas, clínicas, ao invés de energia elétrica, optaram por colocar janelas, evitando o brilho excessivo e estresse térmico. Juntamente com trabalhadores mais felizes, benefícios financeiros e de desempenho humano substanciais foram associados ao aumento da luz do dia. É fato que imóveis comerciais e residenciais, sem janelas e luz natural, alugam muito menos do que espaços arejados e com luz natural.

Foto: Maíra Acayaba.
Apartamento Moema by RAWI Arquitetura + Design. 2014

O arquiteto é o profissional adequado para identificar – no seu projeto ou no ambiente já construído – espaços com capacidade de iluminação natural, desde o design até a instalação e operação. Tudo isso deve ser cuidadosamente observado para se obter os benefícios substanciais como: maior economia de energia, melhorias na saúde e o controle da luz solar direta em ambientes onde será executada tarefas visuais, etc.

Uma vez executado o projeto, vem a garantia do sucesso operacional. É preciso que os ocupantes do ambiente, tanto residencial quanto comercial, se eduquem com base no projeto de iluminação natural: como usar os controles de iluminação e como acessar e usar os controles de sombreamento. Com certeza será um espaço de requinte, prazeroso e interessante.